segunda-feira, 11 de junho de 2018

Wanderson Florêncio celebra o forró e os forrozeiros

Na tribuna, o vereador Wanderson Florêncio saudou os forrozeiros, compositores e o público em geral e iniciou suas palavras citando as três versões para a origem da palavra “forró”. “No fim do século XIX, durante as construções das estradas de ferro no Nordeste, alguns ingleses faziam festas e quando elas eram abertas ao público, havia um cartaz com a seguinte frase: “For All”, ou seja, “para todos”. A segunda versão é muito semelhante, mas, no entanto, a principal diferença é em relação aos responsáveis pela animação que, nesse caso, eram os soldados norte-americanos. E a terceira versão, mais antiga e mais aceita é a do folclorista e pesquisador da cultura popular Luiz Câmara Cascudo. Segundo ele, a palavra forró deriva da abreviação de forrobodó, que significa arrasta-pé, confusão, farra”.
Wanderson Florêncio abordou outras vertentes do forró, a exemplo do universitário e o eletrônico. “Os novos estilos, como o universitário, têm influências do rock, samba, funk e reggae. O forró eletrônico surgiu na década de 90 e tem uma linguagem estilizada e um visual muito chamativo. Utiliza instrumentos eletrônicos como guitarra, contrabaixo e, especialmente o órgão eletrônico, que substitui a sanfona. A dança é mais acelerada e não possui passos pequenos como ocorre no tradicional, pé de serra, xote, xaxado e baião”.
O parlamentar reverenciou vários artistas saudando e rememorando nomes que, segundo ele, são o elo das nossas tradições e da nossa cultura mais marcantes. “Viva cada forrozeiro que, ao puxar o fole, leva a alegria e a nostalgia das coisas do nosso velho nordeste carregada no peito. Parabéns a todos vocês por levarem no peito, na voz e na alma a cultura nordestina! A cultura Pernambucana! Muito obrigado!”.  Após o discurso de Wanderson Florêncio, 66 personalidades que contribuem para a cultura nordestina foram citadas e cada um (a) recebeu um certificado do parlamentar.







Nenhum comentário:

Postar um comentário